10 de janeiro de 2010

Maiô de crochê

Tendência das passarelas, este modelo engana-mamãe é superatual e foi inspirado na moda artesanal dos anos 1970

Produção Andreia Guimarães | Receita cedida por Lili Biancardi | Fotos Carlos Bessa (still) e Bira Soares (desfile)

Tamanho 38

Material

• 1 cone de 1.500 m na cor naranja (1208), da linha Brisa, da Pingouin
• Agulha para crochê nº 0 mm
• 1 argola de madeira
• 60 cm de tecido com elastano
• 1,5 m de elástico fino
Pontos empregados
Correntinha (corr.)
Ponto baixíssimo (p.bx.)
Ponto baixo (p.b.)
Ponto alto (p.a.)

*preço pesquisado em
outubro de 2009

Maio de Crochê
Maiô
Lili Biancardi (R$ 160)

Execução

Calcinha
Comece por baixo, trabalhando primeiro a parte de trás e depois a parte da frente, como no diagrama 1. Faça 24 correntinhas e trabalhe em ponto alto acompanhando o diagrama 1, até atingir a 35ª carreira, arremate e levante os pontos a partir da correntinha e trabalhe para o outro lado, a parte da frente até a 21ª carreira, ainda com a linha presa faça 48 corr. e prenda na parte de trás da calcinha, faça o mesmo do outro lado (isso irá formar a cava da perna). Trabalhe agora em carreiras circulares por mais três carreiras trabalhando sobre os pontos altos da frente, de trás e das “cavas da perna”, como no diagrama 2. Arremate.
Sutiã
Trabalhe cada parte separadamente. Levante 16 pontos baixos ao redor da argola de madeira, trabalhe e carreiras de ida e volta somente em pontos altos. 1ª carr. 16 p.a., 2ª carr. 34 p.a. (coloque dois pontos alto em cada uma da carreira anterior), 3ª carr. 34 p.a., 4ª carr. 51 p.a. (coloque dois pontos alto, pulando uma da carreira anterior), 5ª carr. 51 p.a., 6ª  carr. 51 p.a., 7ª  carr. 51 p.a., 8ª  carr. 52 p.a., 9ª carr. 2 p.a., 2 p.a., 48 p.a., 2 p.a., 2 p.a., 10ª  carr. 56 p.a., 11ª  carr. 55 p.a., 12ª   carr. 54 p.a., 13ª carr. 53 p.a., 14ª a 24ª carr. 52 p.a.. Comece a diminuir. 25ª  carr. 51 p.a., 26ª carr. 50 p.a., 27ª carr. 49 p.a., 28ª carr. 48 p.a., 29ª carr. pular 3 pontos da carr. de baixo, fazer 42 p.a., pular 3 de novo, 30ª carr. pular 2 p. da carr. de baixo, fazer 38 p.a., pular 2 p. de novo, 31ª carr. pular 2 pontos da carr. de baixo, fazer 34 p.a., pular 2 p. de novo, 32ª carr. pular 2 p. da carr. de baixo, fazer 30 p.a., pular 2p. de novo, 33ª carr. 26 p.a., 34ª carr. 26 p.a., 35ª carr. 25 p.a., 36ª carr. 24 p.a., 37ª a 43ª carr. 23 p.a., 44ª carr. 22 p.a., 45ª carr. 21 p.a., 46ª a 54ª carr. 20 p.a., 55ª carr. 19 p.a., 56ª carr. 18 p.a., 57ª carr. 17 p.a., 58ª carr. 16 p.a., 59ª a 85ª carr. 15 p.a., Arremate. Faça o mesmo para o outro lado.
Barriga
Trabalhe em cima da calcinha nos 70 pontos altos centrais da parte da frente, com correntinhas seguindo o diagrama 3, até a 36ª carreira. Prenda os pontos que ficaram com pontos baixos, no centro da argola.
Cordão
Faça um cordão torcido de 40 cm e prenda na argola de madeira, entre o sutiã.
Acabamento
Faça três carr. de p.b. ao redor de toda a calcinha, o sutiã e a barriga, acertando e deixando reto os pontos. Costurar o elástico nas laterais da calcinha e sutiã e prender o tecido com elastano formando o forro.


Diagrama 1

Diagrama 2

Diagrama 3

Bolsa de crochê

O modelo usado pela atriz Angelina Jolie é
ótimo para o dia a dia

Receita cedida pela Círculo (SAC 0800 6482966)


Bolsa de crochê e Angelina Jolie

Material

  • 2 novelos com 100 g na cor cru (8176) do fio Luisa, da Círculo
  • agulha para crochê nº 9 (3,5 mm), 50 x 80 cm de tecido para forro estampado floral
  • 1 par de alças de couro marrom
  • 3 botões magnéticos
  •  linha
  • agulha de costura
Amostra
Quadrado de 5 x 5 cm (agulhas para crochê nº 9) = 8 pontos x 6 carreiras medidos sobre pontos baixos.
Tamanho
38 (largura) x 34 (altura) cm

Pontos empregados

Ponto (p.)
Correntinha (corr.)
Ponto baixíssimo (p.bx.)
Ponto baixo (p.b.)
Ponto alto (p.a.)
Bola (1ª carreira: 5 pontos altos laçando o mesmo ponto de base; 2ª carreira: 5 pontos altos fechados juntos)

Execução

Fundo: faça 61 correntinhas, 1 ponto baixo laçando a 2ª correntinha a contar da agulha, 1 ponto baixo laçando cada correntinha seguinte até o final do cordão (60 pontos baixos). Trabalhe 10 carreiras de pontos baixos.
Corpo da bolsa: trabalhe circulares ao redor do fundo, para frente e costas trabalhe acompanhando o gráfico. Após concluir a 46ª carreira, arremate. Contorne os losangos com uma carreira de pontos baixíssimo
Acabamento e montagem
  • Dobre o tecido para forro ao meio e faça a bainha ao redor da abertura.
  • Aplique os botões magnéticos no forro 1,5 cm abaixo da abertura, distribuídos em intervalos regulares.
  • Coloque o forro dentro da bolsa e prenda ao redor com pontos de alinhavo à mão.
  • Vire 2 cm ao redor da abertura do corpo da bolsa para o avesso e prenda com pontos de alinhavo à mão.
  • Usando 2 fios juntos, faça 2 cordões de correntinhas com 90 cm de comprimento.
  • Passe-os em alinhavo nas laterais da bolsa 3 cm abaixo da borda da abertura.
  • Faça 4 pingentes com 10 cm de comprimento e aplique-os nas pontas dos cordões.
  • Prenda as alças.
Dica
A bolsa deve ser forrada com cetim, faille ou sarja. As alças podem ser de couro natural ou sintético. Para deixar o fundo da bolsa estruturado, você pode colocar uma tira de borracha não tóxica, chamada EVA.
Como cuidar
Por ser uma peça artesanal, não é recomendável lavar com água corrente. Se necessário, passe uma esponja com sabão de coco, depois limpe com um pano úmido e deixe secar naturalmente na sombra.
Esquema
Esquema - Bolsa de Tricô de Angelina Jolie

Colar vintage

Bookmark and Share
----- PAGINA 01 -----
----- PAGINA 02 -----
----- PAGINA 03 -----

Como usar

• O colar fica elegante com decotes em U, V, canoa e tomara-que-caia.

• É bom para usar à noite, com vestidos pretos, e incrementa até mesmo uma camiseta básica.

Colar vintage

Como fazer

Dê um laço unindo as duas fitas de cetim grossas. Nas extremidades, costure uma argola grande. Coloque as contas no fio de náilon de 50 cm. Corte a mesma medida do fio com pérolas, faça um nó nas pontas e amarre-as na argola.


Com o alicate, encaixe argolas pequenas nos finais das correntes e prenda-as na argola maior. Prenda as fitas fininhas no mesmo local. Para fazer as flores, corte círculos de gazar de 8 cm, 6 cm e 4 cm de diâmetro e costure-os deixando os maiores embaixo e os menores em cima. Pregue minipérolas na linha de costura e faça o arremate no miolo.

Costure as flores sobre a fita grossa.

chanel

Colar vintage

Feito de pérolas, correntes e fitas, este clássico modelo inspirado em Chanel vai deixar o seu visual cheio de estilo

Material

• 1 corrente de 50 cm x 1 cm
• 1 corrente de 50 cm x 0,5 cm
• 1 corrente de 50 cm x 0,3 cm
• 50 cm de fita de cetim de 0,5 cm de largura
• 1 fita de organza de 50 cm
• 2 fios de náilon de 55 cm
• 50 cm de fio de pérolas médias
• 2 argolas de metal de 2 cm
de diâmetro
• 10 argolas de metal de 0,5 cm
de diâmetro
• 1 m de gazar
• 1 pacote de contas pretas de plástico
• 1 pacote de minipérolas
• alicate
• agulha
• linha



Correntes grossafina
Argolas pequena e grande (R$ 3,25, o pacote de 200 g)
Estilo Bijouterias

Fitas grossa Aslan ,
transparente 
fina (
Contas
Pérolas médias fio com 125 pérolas
pequenas
Gazar

O passo-a-passo para confeccionar o colar:

trico pra todas as idades

Site Estimula Jovens a Fazer Tricô





Grupo de tricoteiras paulistanas desmancha estereótipos: há até quem goste de Lady Gaga e use iPhone
http://revistaepocasp.globo.com/Revista/Epoca/SP/foto/0,,33480074,00.jpg
Paola Ricioli, 16 anos, às vezes tem vergonha de revelar o hobby para os amigos
Fio de lã em torno do pescoço e par de agulhas nas mãos, Paola Ricioli tricota um casaquinho, uma imagem inusitada para uma tarde de sábado no Vanilla Café da Alameda Itu. Aos 16 anos, essa ex-fã da banda NX Zero é a caçula do grupo Tricoteiras (www.tricoteiras.com), que desde 2008 promove discussões em um fórum virtual e se reúne mensalmente para trocar dicas de receitas e acessórios. Faladeiras, as 22 mulheres passam seis horas tecendo peças, tricotando para aliviar o estresse e, ao mesmo tempo, desmanchando o estereótipo da vovó na cadeira de balanço: são advogadas, tradutoras, psicólogas, com idades entre 16 e 70 anos. A estudante Paola, por exemplo, aprendeu a habilidade manual com a mãe, aos 9 anos, e hoje tricota em casa suas boinas e cachecóis ao som de Lady Gaga e Britney Spears. Ela diz que às vezes tem vergonha de revelar seu hobby retrô. “Alguns amigos acham bem estranho.” Em alguns casos, namorados também. Quando a jornalista Clara Quintela, 33 anos, uma das fundadoras do grupo, resolveu fazer um pulôver de surpresa para seu namorado, o grupo a aconselhou a desistir da ideia para não botar seu relacionamento em perigo. “Isso assusta: eles acham que a gente quer logo casar e pulam fora”, diverte-se.

Assim, a maioria cria peças para uso pessoal e doações (meias e mantas seguem para abrigos de idosos e creches) ou para presentear amigas e filhos. Homens lá não têm vez nem nas fofocas. Elas preferem falar mesmo de tricô, entre rolos coloridos, sucos e xícaras de café. Em pouco tempo, surgem boleros, chales, roupinhas de bebê. Solícitas, param de tricotar quando uma delas, orgulhosa, quer mostrar o trabalho finalizado. Em quase todas as bolsas há uma peça inacabada. “A gente precisa ter o que fazer na sala de espera do médico ou na fila de uma repartição pública”, diz a empresária Marilena Staropoli, de 55 anos.

As tricoteiras mais modernas não se contentam com o aparato básico. Munida de um estojo cheio de acessórios, notebook e iPhone, a psicóloga Zaira Faro, 47 anos, investe no que considera uma terapia para sua ansiedade. Na tela do computador, confere as receitas que baixou dos sites. No celular, fotografa as peças em andamento e anota qual a linha e a lã usadas, para não haver confusão. “O processo de feitura é mais gratificante do que ver a peça pronta. Treina paciência e desprendimento. Porque às vezes é preciso desmanchar o que levou horas para ser construído”, diz.

9 de janeiro de 2009

CAMPANHA: CÂNCER DE MAMA X MULHERES DE PEITO - Palavras da Marly Pinheiro:
"Há muitos anos penso que a ignorância é a maior doença da humanidade. Existem pessoas que quando se deparam com um problema preferem ignora-lo a enfrentar a situação, se prejudicando muito. Por isso, quando descobri meu diagnóstico de câncer de mama preferi enfrentar a luta que se apresenta pela frente de peito aberto. Pesquisando sobre o assunto descobri alguns sites muito interessantes que quero compartilhar com as pessoas amigas que visitam meu blogspot. Quero ainda lembrar a todo mundo da importância dos exames frequentes tanto das mamas, como os de rotina (ginecológico, cardiológico, etc). Não se esqueçam que os grandes generais para vencer seus inimigos sempre enviam espiões para conhecê-los e descobrir as estratégias de luta."

SwimME : yourjovi !!

 
Template Rosinha|Templates e Acessórios